Entrada Sugestões do Mês Autor do Mês Janeiro de 2014 - Thomas Pynchon

Menu Principal

Sugestões do Mês

escritor escrevendo

Autor

livres-05 

Livro

opinião

Opinião

bandes-07 

Filme

musica

Música

Horas

Em cima do acontecimento

« < Maio 2018 > »
S T Q Q S S D
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3

Bibliotecas nas Redes Sociais

facebook     twitter

Centenário do Concelho

centenario SBA logo

 

bibliodigital

Projetos e Programas

ler logo

 

conta-nos uma  historia logo

 

portal das escolas logo

 

seguranet

Visitantes online

Publicidade

Faixa publicitária

Parceiros


 
Alojamento ESJBV ESJBV
Janeiro de 2014 - Thomas Pynchon

thomas pynchonThomas Pynchon (1937- )

Iniciamos o ano a sugerir-vos um “autor de culto”.

A Bertrand edita mais um título do americano Thomas Pynchon - Mason & Dixon.

Um romance baseado na biografia do astrónomo inglês Charles Mason (1728-1786) e do seu companheiro de explorações Jeremiah Dixon (1733-1779), que nos expõe, também, a história do “nascimento” da América e o mundo de ideias do século XVIII.

Segundo o critico literário Harold Bloom estamos perante uma “obra de génio”.

Thomas Pynchon nasceu em 8 de Maio de 1937, em Long Island, Nova Iorque. Em 1953,  terminou o ensino secundário na Oyster Bay High School com honras académicas. Passou então a frequentar o departamento de Engenharia da Universidade de Cornell,  uma das universidades da Ivy-League, mas no segundo ano abandonou o curso para se alistar na marinha americana. Em 1957, retorna a Cornell para cursar Inglês. O seu primeiro conto, "A Small Rain", foi publicado na revista literária da universidade, "Cornell Writer", de que era editor-sénior, em maio de 1959, ano em que se formou.

Escreveu o seu primeiro romance, quando trabalhava como escritor técnico para a Boeing.

“V.”, o seu livro de estreia, foi publicado em 1963 e ganhou o prêmio de melhor romance do ano da Fundação William Faulkner. Em 1989 recebeu o prémio da Fundação MacArthur.

A partir da publicação do seu terceiro e mais famoso livro, “O Arco-Íris da Gravidade” (1973), Pynchon demonstrou a sua aversão pela exposição pública. Conhecem-se poucas fotos suas. Antes de “Mason & Dixon” ser publicado em 1997, foi localizado e filmado pela CNN. Irritado com esta invasão da sua privacidade, Pynchon concordou em dar uma entrevista, mas, em troca, exigiu que o filme fosse mantido em segredo.

Quando questionado sobre a sua natureza reclusiva, respondeu: "acho que 'recluso' é uma palavra de código usada por jornalistas, e significa "não gosta de falar com repórteres".

Thomas Pynchon vive em Manhattan com a sua mulher e agente Melanie Jackson e o seu filho Jackson Pynchon.

 

V arco-íris da gravidade mason & dixon