Menu Principal

Sugestões do Mês

escritor escrevendo

Autor

livres-05 

Livro

opinião

Opinião

bandes-07 

Filme

musica

Música

Horas

Em cima do acontecimento

« < Dezembro 2018 > »
S T Q Q S S D
26 27 28 29 30 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6

Bibliotecas nas Redes Sociais

facebook     twitter

Centenário do Concelho

centenario SBA logo

 

bibliodigital

Projetos e Programas

ler logo

 

conta-nos uma  historia logo

 

portal das escolas logo

 

seguranet

Visitantes online

Publicidade

Faixa publicitária

Parceiros


 
Alojamento ESJBV ESJBV
Música
Janeiro de 2017 - O Senhor Extraterrestre

nua de gisela joãoPassados três anos do disco de estreia, Gisela João regressa com "Nua", o seu novo álbum lançado no passado mès de novembro. A fadista canta as músicas de que sempre gostou, escritas por grandes poetas.

A fadista “despiu-se” de pressões e apresenta um disco com as músicas de que mais gosta. Gisela João apresentou “Nua” em primeira-mão no Jornal da Noite da SIC. Em entrevista a Rodrigo Guedes de Carvalho, explicou que, graças ao sucesso do primeiro álbum — “Gisela João” (2013) –, tem tido muito trabalho e ainda não tinha conseguido gravar outro disco.

No entanto, foi gravando o novo disco aos poucos com canções de que sempre gostou e nas quais encontra uma certa pureza. Fado, é claro. A fadista, que gosta de ditados, acredita quequem dá o que tem a mais não é obrigado”, uma promessa de que deu tudo aquilo de que era capaz no novo trabalho.

Nos 13 fados interpretados pela artista, Gisela João recorreu a palavras escritas por grandes poetas. Por exemplo, “Há palavras que nos beijam” de Alexandre O’Neil, “Naufrágio” de Cecília Meireles e “Labirinto ou não foi nada” de David Mourão-Ferreira. Também Capicua escreveu para a fadista a música “Noite de São João”.

Para a atuação no Jornal da Noite, a fadista escolheu a música “Senhor Extraterrestre” por uma questão de atualidade. É que Gisela João espera que “este extraterrestre que nos apareceu agora seja tão fofinho como ele (o da música)”, numa referência clara ao novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A canção foi escrita por Carlos Paião para Amália Rodrigues.

Fonte: Observador, 10-11-2016

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Página 8 de 43