Menu Principal

Sugestões do Mês

escritor escrevendo

Autor

livres-05 

Livro

opinião

Opinião

bandes-07 

Filme

musica

Música

Horas

Em cima do acontecimento

« < Junho 2017 > »
S T Q Q S S D
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
« < Julho 2017 > »
S T Q Q S S D
26 27 28 29 30 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6

Bibliotecas nas Redes Sociais

facebook     twitter

Centenário do Concelho

centenario SBA logo

 

bibliodigital

Projetos e Programas

ler logo

 

conta-nos uma  historia logo

 

portal das escolas logo

 

seguranet

Visitantes online

Publicidade

Faixa publicitária

Parceiros


 
Alojamento ESJBV ESJBV
Opinião
A ascensão da nova ignorância

josé pacheco pereiraJosé Pacheco Pereira

Público, 31 de dezembro de 2016

Nada é mais significativo e deprimente do que ver pessoas que estão juntas, mas que quase não se falam, e estão atentas ao telemóvel.

Entre os temas tabu dos nossos dias está a ignorância. Parece que falar da ignorância coloca logo quem o faz numa situação de arrogância intelectual, o que inibe muita gente de a nomear. Mas não há muita razão para se enfiar essa carapuça, tanto mais que o problema é enorme e está agravar-se e a assumir novas formas, socialmente agressivas. Acompanha outro tipo de fenómenos como o populismo, a chamada “pós-verdade”, a circulação indiferenciada de notícias falsas, e, o que é mais grave, a indiferença sobre a sua verificação. Não explica, nem é a causa de nenhum destes fenómenos, mas é sua parente próxima e faz parte da mesma família. É, repetindo uma fórmula que já usei, como se de repente se deixasse de ir ao médico, e se passasse a ir ao curandeiro.

Continuar a ler...
 
Não sei fazer os TPCs, a minha mãe também não e o meu pai não está

jose morgado

José Morgado

Público, 13 de dezembro de 2014

 

Com alguma periodicidade reentra na agenda a questão dos trabalhos escolares realizados em casa, os míticos TPCs. Trata-se de uma matéria controversa patente nos discursos e práticas de professores e também nas opiniões dos pais e encarregados de educação. A OCDE divulgou há dias um relatório interessante, "Does homework perpetuate inequities in education?", produzido com base em dados recolhidos no âmbito do PISA (Programme for International Student Assessment) nos anos de 2003 e 2012). Os alunos portugueses de 15 anos, dados de 2012, gastam em média quatro horas semanais na realização de trabalhos de casa, menos uma hora que em 2003 e menos uma hora que a média dos 38 casos estudados pela OCDE.

Continuar a ler...
 
A mentira do ranking

Daniel SampaioDaniel Sampaio

Público, 20 de dezembro de 2015

 

Começo por protestar contra o uso repetido deste termo “ranking”, como se o português não contivesse vocábulo apropriado. Hesitei em usá-lo, mas fui vencido pelo hábito: se escrevesse sobre a “classificação das escolas”, muitos leitores não saberiam do que estaria a falar.

A comunicação social, em regra tão omissa em tratar os problemas da escola (excepto os negativos), dedicou agora amplo espaço ao tema. A televisão optou até por se deslocar às “melhores” e às “piores” escolas, sem cuidar de aprofundar os fundamentos da seriação publicada.

Continuar a ler...
 
Ler de pernas para o ar

eduardo sa

Eduardo Sá

LeYaEducação, 24 de novembro de 2015

 

Gosto, como todos nós, das crianças que leem. E preocupa-me que o seu amor pela leitura pareça, vezes demais, "constipado", como se fosse uma tarefa com o seu quê de insuportável para elas, que nos obriga a todos a perguntar porquê.

Será que as crianças são, "naturalmente", avessas a ler, ou seremos nós a "lê-las" mal, em relação ao seu envolvimento com os livros?

Continuar a ler...
 
Vamos brincar às bibliotecas?

Joana Portela

Joana Portela

Correio do Vouga, 7 de outubro de 2015

 

Outubro é o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares. Com o cair do Outono, misturam-se-me de novo nas mãos as folhas caducas e as páginas perenes. Há um tema, nestas crónicas, que é cíclico como as estações: os livros e as bibliotecas. Corro, bem sei, o risco de me repetir e de fatigar os leitores, mas habituei-me àquela voz pequenina, a pedir: “Mãe, conta outra vez!” E então eu reconto, e acrescento um ponto (ou dois...) para reflexão.

Continuar a ler...
 
<< Início < Anterior 1 2 Seguinte > Final >>

Página 1 de 2