Entrada

Menu Principal

Sugestões do Mês

escritor escrevendo

Autor

livres-05 

Livro

opinião

Opinião

bandes-07 

Filme

musica

Música

Horas

Em cima do acontecimento

« < Dezembro 2016 > »
S T Q Q S S D
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1

Bibliotecas nas Redes Sociais

facebook     twitter

Centenário do Concelho

bibliodigital

Projetos e Programas

ler logo

 

conta-nos uma  historia logo

 

portal das escolas logo

 

seguranet

Visitantes online

Em linha

Temos 30 visitantes em linha

Publicidade

Faixa publicitária

Parceiros


 
Alojamento ESJBV ESJBV
Bem-vindo ao nosso portal
1 de Dezembro - Restauração da Independência PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
quinta-feira, 01 dezembro 2016 10:05

UM POVO SEM MEMÓRIA ... É UM POVO SEM FUTURO.

Hoje comemora-se a Restauração da Independência, ocorrida em 1 de dezembro de 1640

O videograma educativo criado pela Porto Editora dá-te a conhecer o significado do que aconteceu naquela data.

Ora vê...

 
ERA UMA VEZ... Histórias para toda a família - Dezembro de 2016 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
quarta-feira, 30 novembro 2016 21:24

cartaz era uma vez dezembro

 
Apresentação do livro "Deixar Aleppo" PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
terça-feira, 29 novembro 2016 17:24

Deixar Aleppo cartaz2 de dezembro | 16h00 | Sala João Belchior Viegas

Apresentação do livro "Deixar Aleppo" de Manuela Niza Ribeiro

Um inspector do SEF em missão na Grécia; uma portuguesa dos Médicos Sem Fronteiras;  as famílias desestruturadas, estilhaçadas, no repente, no súbito repente, entre a normalidade e o caos; a sobrevivência a todo o custo, a todo o preço; fronteiras, liberdade, vidas; olhares diferentes, interesses diferentes, posturas diferentes... mas tudo, tudo pessoas, tudo, simplesmente, pessoas...

Docente universitária e funcionária superior do SEF, Serviço de Estrangeiros e Fronteira, Manuela Niza Ribeiro traz para as páginas do seu último livro a vida real.

Apresentação de Maria Luísa Francisco.

Contamos consigo!

 
Exposição "Arte Solidária - Feito por Mãos Especiais" PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
sexta-feira, 25 novembro 2016 10:09

arte solidária - feito por mãos especiaisOs Alunos com Necessidades Educativas Especiais de Caráter Permanente (Currículo Específico Individual) dos 2º e 3º ciclos, orientados pelas professoras de Educação Especial, têm vindo a desenvolver, no atelier de expressão plástica, diversos trabalhos que visam promover a imaginação, a criatividade, o sentido estético e a motricidade fina, bem como competências de relacionamento interpessoal e social.

São esses trabalhos que pode ver na exposição patente ao público, de 2 a 31 de dezembro de 2016, de 3.ª a 6.ª feira e sábado de manhã, na Galeria Municipal, das 9h30 às 13h00 e entre as 14h00 e as 17h30.

 
Passeios Natureza "Pegadas no Tempo - Novembro 2016 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
sexta-feira, 25 novembro 2016 08:49

são brás contemporâneoO passeio temático de novembro a São Brás Contemporâneo, no dia 27, domingo, encerra o Ciclo de Passeios 2016 – Pegadas no Tempo, um ciclo formado por 8 passeios pedestres por diferentes épocas históricas.

Esta iniciativa mensal da Câmara Municipal de São Brás de Alportel teve início numa abordagem ao período romano, em fevereiro, e prosseguiu pelos períodos islâmico, Medieval, Barroco, Romântico, Industrial, Moderno até ao tema do atual mês,  o contemporâneo.

A última expedição tem como ponto de encontro o terminal rodoviário pelas 10h00 e parte rumo à zona serrana do município, na companhia do antropólogo Artur Gregório da Associação IN LOCO.

Ao longo de um percurso de 8,5 KM em plena Serra do Caldeirão os participantes serão desafiados a refletir sobre “Como gostaríamos que fosse São Brás de Alportel de aqui a 100 anos? “ uma viagem imaginária, guiada pela utopia, mas que deve ser orientadora de escolhes e opções do presente.

O Ciclo de Passeios Natureza, lançado na edição deste ano sob a temática das “Pegadas no Tempo” visa a promover e valorizar o património histórico, arquitetónico e de natureza do município de São Brás de Alportel, e a reflexão sobre os mesmos, direcionando esta atividade para  participantes de todas as idades.

A inscrição é gratuita, mas obrigatória através do Tel. 289 840 019 ou através do e-mail.  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 
Apresentação do livro "Na lonjura de Timor" PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
sexta-feira, 18 novembro 2016 11:32

na lonjura de Timor 23 de novembro | 17H00 | Biblioteca Municipal

Apresentação do livro "Na lonjura de Timor"

No mês em que comemoramos o 13.º aniversário da atribuição do nome de Estanco Louro comopatrono da Biblioteca Municipal, apresentamos aos nossos utentes a obra literária "Na lonjura de Timor" de autoria de José António Cabrita.

A apreentação estará a cargo do Dr. José do Carmo Correia Martins.

Sobre o livro:

"Timor: a mais distante, a menos conhecida, a mais enfeitiçadoraparcela desse canto europeu, cujo alto Império o Sol, logo em nascendo vê primeiro, foi também terra de muitos degredos. E de algumas deportações de pendor acentuadamente político. Anarquistas, deportados políticos, deportados sociais, cadastrados ou vadios, assim denominados, a certo tempo, chegaram a compor a sociedade timorense com um contingente de cerca de meio milhar de homens.

Alguns não resistiram às duras condições de vida; outros ali ganharam impulso para outros destinos, havendo um que alcançaria, até, um dos mais altos lugares da administração colonial; outros, ainda, se ficaram pela ilha verde e vermelha de Timor, construindo família e forjando um património matéria e social de grande vulto; e houve quem, vencido o tempo da pena, voltasse às suas origens para continuar a lutar pelos seus ideais.

Este escrito, de que se desejou um título – Na lonjura de Timor lha dook rai timor – escrito nas línguas constitucionalmente oficiais em Timor-Leste, dá conta de alguns desses casos de deportação política e a sua edição acontece num momento em que se comemora meio milénio desde que aquelas duas línguas se encontraram, para dar começo a um futuro inevitavelmente comum." (texto da contracapa do Livro)

Sobre o autor:

jose antonio cabritaJosé António Cabrita nasceu no ano de 1949. Estudou sociologia, e foi essa maneira de perceber como as pessoas interagem, se organizam e protagonizam a mudança, que ensinou por muitos anos.

Sobre o assunto, por vezes em grupo, redigiu um punhado de escritos, uns, que não romperam as paredes da academia, outros, muito poucos, que por aí andam, à disposição de quem se interesse: “Imagens da integração: representações sociais sobre a integração da agricultura portuguesa na Comunidade Europeia” (1992), Entre a Gândara e a Terra Galega (1998), José Maria dos Santos. E antes de “grande agricultor”? (1999), “Folclore da região caramela ou folclore de feição caramela de entre Tejo e Sado?” (2000), Rio Frio, retrato de uma grande casa agrícola (2006), e A fortuna de um fazedor de sonhos (2009).

 
Dia de São Martinho PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
quinta-feira, 10 novembro 2016 21:08

dia de são martinhoA lenda de Sáo Martinho

Num dia frio e chuvoso de inverno, Martinho seguia montado a cavalo quando encontrou um mendigo. Vendo o pedinte a tremer de frio e sem nada que lhe pudesse dar, pegou na espada e cortou o manto ao meio, cobrindo-o com uma das partes. Mais à frente, voltou a encontrar outro mendigo, com quem partilhou a outra metade da capa. Sem nada que o protegesse do frio, Martinho continuou viagem. Diz a lenda que, nesse momento, as nuvens negras desapareceram e o sol surgiu. O bom tempo prolongou-se por três dias.

Na noite seguinte, Cristo apareceu a Martinho num sonho. Usando o manto do mendigo, voltou-se para a multidão de anjos que o acompanhavam e disse em voz alta: “Martinho, ainda catecúmeno [que não foi batizado], cobriu-me com esta veste”.

As tradições do dia de São Martinho

O dia de São Martinho é festejado um pouco por toda a Europa, mas as celebrações variam de país para país. Em Portugal é tradição fazer-se um grande magusto, beber-se água-pé e jeropiga. Esta é também uma altura em que se prova o novo vinho. Como diz o ditado popular, “no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

De acordo com alguns autores, como José Leite de Vasconcelos e Ernesto Veiga de Oliveira, a realização dos magustos remonta a uma antiga tradição de comemoração do Dia de Todos os Santos, onde se acendiam fogueiras e se assavam castanhas. Em outros países, como na Alemanha, acendem-se fogueiras e fazem-se procissões, e em Espanha matam-se porcos, tradição que deu origem ao ditado popular “a cada cerdo le llega su San Martín” (“cada porco tem o seu São Martinho”). Também no Reino Unido existe a expressão “verão de São Martinho” que, apesar de já raramente utilizada, está também ligada com a crença de que o tempo melhora nos dias que antecedem o feriado

 
ERA UMA VEZ... Histórias para toda a família - Novembro de 2016 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
quinta-feira, 10 novembro 2016 17:01

era uma vez... histórias para toda a família

 
Reportagem Especial – Adaptação às Alterações Climáticas em Portugal PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
quarta-feira, 09 novembro 2016 10:32

Reportagem Especial – Adaptação às Alterações Climáticas em PortugalNeste livro, podemos acompanhar uma jornalista e um repórter de imagem enquanto fazem uma reportagem de televisão sobre a adaptação às alterações climáticas em Portugal, focando também um projeto de adaptação a nível municipal - ClimAdaPT.Local.

Neste percurso, cruzamo-nos com histórias e personagens reais, assistimos a conversas com especialistas no tema, conhecemos desafios postos pelas alterações climáticas e maneiras de lidarmos com eles.

O lançamento desta banda desenhada decorreu no dia 7 de Novembro, coincidindo com a data de início da COP22, em Marraquexe, na Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, pelas 17h00.

Esta banda desenhada é da autoria de Bruno Pinto (argumento), Penim Loureiro (desenho) e Quico Nogueira (cor). 

Disponível no site do projecto de forma gratuita, a banda desenhada aborda algumas consequências das alterações climáticas já verificadas em Portugal. 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Página 1 de 20